• Malu Simões

Viaja Comigo? para a Amazônia: a melhor surpresa de 2020

De todos os destinos possíveis, viajar para a Amazônia jamais esteve em meus planos até conhecer pela internet um modelo de hospedagem exclusivo e de luxo por lá. Ao ver as fotos do Mirante do Gavião Amazon Lodge eu tive a certeza de que precisava desbravar um local ainda pouco “batido” e que contemplava um turismo diferenciado. Era hora de abrir meu leque de opções e conhecer o coração e alma do Brasil.

O Mirante do Gavião fica em Novo Airão, um vilarejo a 96 km de Manaus. São 2h30 de translado de carro, uma modernidade a se comemorar há 9 anos por conta da construção de uma ponte que faz a ligação da capital com outros municípios menores. Antigamente essa travessia era feita somente de barco, o que limitava muito o trajeto.

A estrutura do Mirante do Gavião Amazon Lodge que impacta logo na chegada, com o bangalô de mirante privativo, o mirante de mais de 13 metros para contemplar o Rio Negro e a piscina para os momentos de lazer.

Ao chegar na hospedagem, já somos impactados pela construção diferenciada com madeiras de lei certificadas e espaços comuns representando um navio com seu convés de ponta cabeça: uma idealização arquitetônica para facilitar a circulação de ar e luz. Os lodges são divididos em 12 bangalôs e cada um com suas especificações: tipos de cama, de varanda, com ofurôs e até um mirante privativo – que foi a opção que escolhi.

À beira do Rio Negro, a piscina e o Restaurante Camu Camu contemplam o Parque Nacional de Anavilhanas, que fica bem em frente.

Café da manhã no Restaurante Camu Camu com geléia de cupuaçu, maracujá, abacaxi, suco de graviola, pão de cenoura e batata doce, banana pacovã, cará e macaxeira cozida.

Me contaram que são duas ""Amazônias diferentes na época da cheia e na época da seca. Na época da cheia é possível aproveitar a piscina com o Rio Negro invadindo o hotel e fazendo parte da ambientação. Já na época da seca, com as águas mais baixas, é possível apreciar as prainhas que se formam ao longo do trajeto do Rio Negro com águas escuras e temperatura amena.

O banho de águas calmas no Rio Negro e em muitas de suas prainhas durante o período da seca.

Para os hóspedes do Mirante do Gavião, há algumas opções de passeios de acordo com os dias de hospedagem. Para rechear minha passagem por lá, fizemos o passeio de lancha e banho pelo rio, a focagem de jacaré durante a noite, o reconhecimento da área da Reserva de Desenvolvimento Sustentável e a visita aos botos, um projeto voluntário de uma moradora de Novo Airão que desde seus 8 anos alimenta os botos cor de rosa de forma espontânea e cuida da preservação da espécie que já sofreu muito com a caça ilegal. Importante ressaltar que esse passeio não é de exploração aos animais, é apenas uma forma de conscientizar a importância de mantê-los integrados ao habitat natural. Justamente por isso que a alimentação é controlada para não eliminar o extinto de caça.

O passeio de lancha pelo Rio Negro, contemplando as belezas naturais do Parque Nacional de Anavilhanas e a mais esperada das visitas: conhecer o boto-cor-de-rosa.

Aliando turismo e gastronomia, o paladar é um show à parte. Os sabores da Amazônia são imensamente valorizados em todas as refeições, com suco de graviola e cupuaçu, bolo de milho, raízes e plantas nativas, além dos peixes pirarucu, tambaqui e surubim que são explorados e aproveitados no menu desenvolvido pela Chef Debora Shornik.

Os looks Malwee que compuseram a mala desse Viaja Comigo? trazendo sua coleção Primaveras e compondo a proposta do roteiro.

Para compor a mala e marcar sintonia entre produções e roteiro, escolhi looks fluídos da Malwee. Vestidos longos com rasteirinha, shorts em tecidos leves, camisetas fresquinhas e camisas para completar os itens. Além disso, escolhi peças para fazer caminhadas e trilhas, como calças de academia, tênis e os mais usados: biquinis.

O frescor da viagem com a espontaneidade dos looks fez dos registros os mais lindos. A coleção Primaveras da Malwee enaltecem fauna e flora brasileira sendo a definição perfeita para esse momento.

Para finalizar o roteiro, no último dia de viagem, já em Manaus, fomos ver o encontro do Rio Negro com o Solimões, visitar a tribo indígena Tatuyos e apreciar mais uma carta de menu criativo da chef Debora Shornik no restaurante Caxiri, em frente ao Teatro Amazonas.

Um das mais belas paisagens: a caminho da Tribo Tatuyos, o encontro das águas entre Rio Negro e Solimões. Na volta, uma pausa estratégica no Restaurante Caxiri, em frente ao tradicional Teatro Amazonas para despedida dessa gastronomia rica em ingredientes regionais.

IMG_6128_edited.jpg

Conheça a autora

A espontaneidade sempre foi seu guia e a ideia de mostrar grandes comunicadores em papeis mais soltos foi seu maior diferencial durante a trajetória como repórter de tv. Ao lado de grandes apresentadores, Malu Simões teve a oportunidade de mostrar sua irreverência e construir conteúdos diferentes para as mídias digitais.

 

 

Leia mais

 

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

Escreva pra mim :)
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now